Uma por Todas e Todas por Uma: a propósito das eleições presidencias dos EUA

Continua a verificar-se, em todas as partes do Mundo, que a maioria de chefes de Governo é homem. Facto que se reflete em todas as demais camadas sociais, bastando, por exemplo, olhar para o número de mulheres que figuram como sócias nas sociedades de advogados ou como CEO de grandes empresas.



Kamala Harris fez História ao ser eleita a primeira mulher afrodescendente e de origem asiática-americana que irá ocupar o cargo de Vice-Presidente dos Estados-Unidos da América.

Há expectativas de que Harris ainda possa vir a ser daqui a 4 anos (2024) a primeira mulher eleita para o lugar de Presidente dos Estados-Unidos da América.

Como salientou Kamala, no seu discurso de aceitação da nomeação a Vice-Presidente, em agosto de 2020, o facto de lhe ter sido possibilitada a entrada para a História reflete sobretudo o esforço das mulheres que lutaram pelo direito ao voto. Na oportunidade ressaltou que “O facto de estar aqui esta noite é uma prova da dedicação das gerações anteriores à minha” (…) “elas organizaram-se, manifestaram-se e lutaram – não apenas para poderem votar, mas também para fazerem parte do processo de decisão”.


A ascensão e a exceção de Kamala reflete o caminho tortuoso e difícil que é para