Mente sã em corpo são em tempos de pandemia

A Organização Mundial de Saúde alerta que uma em cada quatro pessoas poderá enfrentar problemas de saúde mental na sua vida. De salientar que o surgimento de problemas de saúde mental cresceu com a pandemia (consequência do desemprego crescente, do isolamento social, da pobreza, etc.).


O estudo “Saúde Mental em Tempos de Pandemia (SM-COVID19)”, realizado em Portugal, concluiu que cerca de 25% dos participantes apresentavam sintomas de doença mental.


Esclarece a Direção-Geral de Saúde que “saúde mental” é:

  • “Capacidade de adaptação a novas circunstâncias de vida/mudanças;

  • Superação de crises e resolução de perdas afetivas e conflitos emocionais;

  • Ter capacidade de reconhecer limites e sinais de mal-estar;

  • Ter sentido crítico e de realidade mas também humor, criatividade e capacidade de sonhar;

  • Estabelecer relações satisfatórias com outros membros da comunidade;

  • Ter projetos de vida e, sobretudo, descobrir um sentido para a vida”.



Atentemos no filme da Disney denominado “Soul”. O filme apresenta uma mensagem de conforto para aqueles que, em tempos de pandemia, se veem confrontados com dúvidas relativas ao propósito das suas vidas.


Os dois protagonistas do filme (Joe e 22) representam duas formas diferentes de enfrentar a vida humana, sendo que, no fundo, já todos fomos um e outro nalgum estágio da nossa vida.


O Joe representa a ambição. Apesar de ser professor de música o seu sonho é dar espetáculos de Jazz e ser conhecido por isso. Enquanto jovens, em início de carreira, somos todos um pouco Joe, queremos o mundo e temos expectativas altas sobre o que podemos vir a alcançar. O nosso sentido de vida/projeto de vida passa muito pela nossa concretização a nível profissional.


O 22 é o oposto do Joe. O 22 não tem ambições profissionais nem tem um propósito para a vida. O 22 celebra todos os pequenos momentos da vida. Para ele, o simples facto de c